domingo, 14 de março de 2010

Maria teve outros filhos além de Jesus?

 

image

 

Por Paulo L. F.

 

“Quem são os irmãos de Jesus? Os irmãos de Jesus são os parentes de Maria e parentes em todos os graus.” (Santo Agostinho, 354-430)

 

Essa é uma pergunta muito comum, principalmente entre pessoas que, confundidas pelas seitas enganadoras, se deixam levar por interpretações superficiais da Sagrada Escritura. Inclusive, muitas vezes, por frequentarem durante anos algumas “Catequeses que se dão por aí, torna-se compreensível que tenham dúvidas marcadas por um espírito contrário à Tradição. Atualmente, fala-se muito de “ajuda ao próximo”, conscientização política, inserção na vida pastoral, “experiência de Deus”, busca de interpretação pessoal e incarnada da Sagrada Escritura... mas não se faz apologia, comumente, à Doutrina Católica propriamente dita, pois, ao final das contas – como se afirma, e com ar de erudição- isso seria partidarismo, ação anti-ecumênica, ou mesmo uma afronta ao sentir da modernidade, e - perdoem-me a expressão - “a Igreja que se exploda !” Bom, na verdade, sejamos sinceros, no mais das vezes os catequistas desconhecem a Doutrina Católica ou sua fundamentação, e ninguém pode ensinar o que ignora .

É obvio que Maria Santíssima concebeu um único filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. Ela, sendo virgem antes e durante o parto, permaneceu naquele estado sublime também depois de nascer o Salvador. É isto que nos sugere o Apocalipse[1], pois, narrando-nos que uma mulher vestida de sol – Nossa Senhora - dera à luz um menino que iria governar o mundo, demonstra-nos igualmente que a mesma permanecera completamente envolvida com o drama da vida de seu Filho todo o tempo que lhe restava, e não que, dispensada de sua missão sobrenatural, pudesse entregar-se à ordinariedade da vida ou a outros interesses para além daquele que havia assumido com o Pai celestial.

E, antes de mais nada, sejamos bem diretos, para os membros esclarecidos do Corpo Místico de Cristo basta uma palavra da Igreja e tudo se torna claro como ao meio dia; não digo que se privam do estudo consciencioso de qualquer questão, porém, diante do pronunciamento eclesiástico, no fundo limitam-se a fundamentar tudo aquilo que, pela autoridade infalível da Esposa do Cordeiro, já se apresenta ao seu espírito como dogmático e, portanto, digno de toda confiança.

Comentemos, porém, alguns aspectos do problema. O termo IRMÃO”, na Bíblia, tem muitos significados. Por exemplo, a palavra “Primo”, por não existir no Hebraico e nem no Aramaico, é por ela substituído. No mais, indo logo à prova cabal daquilo que estamos afirmando basta conferirmos a própria Sagrada Escritura e, de fato, veremos que o termo “irmão” é bastante impreciso e vago na língua falada por Jesus. Ele pode indicar:

Os filhos nascidos dos mesmos pais (Gên. 4, 9)

Os filhos do mesmo pai ou da mesma mãe (Gên.42, 15)

Os parentes (Gên.13, 8 – Lot era sobrinho de Abraão)

Os pertencentes a uma mesma tribo (II Sam.19,12)

Os pertencentes ao mesmo povo (Êx.2,11)

Os pertencentes à mesma natureza humana (Gên. 9,5; Heb.2,11)

E, por fim, os batizados que invocam o mesmo Deus (At,10,23; Col.1,2)

Após havermos alargado nossos horizontes com esta evidência histórica, vamos tocar no ponto central da especulação de todos aqueles que se colocam contra o Dogma católico. Muitos fazem referência a certos textos que apresentariam uma complicação toda particular: a utilização da expressão “irmãos de Jesus” em relação a certos personagens bíblicos. Vejamos alguns:[2]

“Chegaram, então, seus irmãos e sua mãe; e, estando fora, mandaram chama-lo.”[3]

“Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem aqui entre nós também suas irmãs?”[4]

“E não ví a nenhum dos apóstolos, senão Tiago, irmão do Senhor.”[5]

Já de entrada, observemos que todo e qualquer texto que venha a ser citado no tocante a esta questão fala-nos dos “irmãos de Jesus”; nunca de supostos “FILHOS (Plural) de Maria ”. E nem precisaríamos explicar o porque; mas, vamos lá ...

Prestando o mínimo atenção em alguns versículos da Bíblia descobriremos que Tiago, Judas, José e Simão, eram, no máximo, parentes próximos de Jesus, e não filhos da Santíssima Virgem, o que seria um absurdo dado o fato de que Nossa Senhora fizera um voto de virgindade perpétua ao seu Criador, como se depreende de suas próprias palavras ao anjo: “Como se fará isso, pois não conheço homem?”.[6] Ora, é como – grosso modo - por exemplo, uma pessoa respondendo a outra que lhe oferece cigarros: “Não, obrigado, eu não fumo!” Essas palavras, “eu não fumo”, com certeza não significam que o indivíduo em questão fumará depois, mas sim que, anteriormente, havia tomado uma decisão de não fumar.[7] De igual maneira o termo “...eu não conheço homem”, dito por Nossa Senhora, significa, e isso ao lado de outras muitas provas históricas, teológicas e mesmo místicas, que a Virgem havia feito realmente o voto de nunca tocar homem algum por toda a sua vida, o que, com toda certeza, já o sabia São José.[8]

Continuando nossa reflexão, olhemos com cuidado para uma das três citações feitas acima: em Gálatas (1,19), fala-se de Tiago, um dos apóstolos, chamado “irmão do Senhor”; porém, nós sabemos pelo texto de Mateus (10, 2-3), que os dois “Tiagos” do grupo dos Doze eram filhos de Zebedeu e Alfeu, respectivamente. Sendo assim, não poderiam ser filhos de Nossa Senhora, casada com São José.

Através da Carta de São Judas (1,1), por sua vez, descobrimos que ele (Judas, chamadoTadeu) era irmão de Tiago, e consequentemente, também não poderia ter nascido da Virgem Maria. Bem, sobraram José e Simão! Sobre o primeiro, prestemos atenção nestes dois textos abaixo:

“E também alí estavam algumas mulheres, olhando de longe, entre as quais também Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé.”[9]

“Entre as quais estavam Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos Filhos de Zebedeu.”[10]

Concluamos:

1- Tiago e José não são filhos de Maria, Mãe de Jesus.

2- Tiago e José são filhos de outra Maria, segundo a própria Bíblia.

3- Tiago e José (e Judas, se levarmos em conta as passagens que indicam que Judas é um dos irmãos de Tiago apóstolo) são irmãos entre si.

4- Tiago, José (e Judas) não são filhos de Zebedeu, pois, a “mãe dos filhos de Zebedeu” (Mat. 27, 56) é citada à parte como mãe de outros filhos e não de Tiago Menor e seus irmãos. Como já afirmamos, segundo Mateus (10, 2-3) é Tiago Maior, junto a João, seu irmão, que eram filhos de Zebedeu, cuja esposa também é citada em outro texto.[11]

Por fim, Simão. Era mui provavelmente um dos doze apóstolos. Não é bastante o que saberemos sobre ele se tomarmos como referência tão somente as citações bíblicas. Um escritor antigo, Egesipo, o dá também como filho de Cléofas, e portanto, como parente próximo da família de Jesus.[12] O seu caso pode ser tomado sob o mesmo aspecto das chamadas “irmãs de Jesus” de que nos fala o texto de São Marcos (6,3); não sabemos delas muitos detalhes, porém, concomitantemente, pode-se concluir de modo cabal que também não eram filhas de Nossa Senhora, pois, como vimos, só Jesus é apresentado como filho daquela Vírgem singular: Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão (parente) de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem entre nós também suas irmãs?”[13]

Perceba, caro leitor, a distinção clara e evidente que se faz aqui, entre Jesus “O FILHO DE MARIA” (Singular), e Tiago, José, Judas, Simão e algumas mulheres, todos estes personagens tratados como “irmãos de Jesus”, ou seja, seus parentes próximos, e nunca, JAMAIS como “Filhos de Maria ”.

Finalmente, se a Santíssima Virgem tivesse gerado outros filhos – e seriam tantos! – por que Jesus Cristo, ao morrer na cruz, a deixou aos cuidados de um dos apóstolos? Sim, está escrito: “Quando Jesus viu sua Mãe e perto dela a discípulo que amava, disse a sua Mãe: ‘Mulher, eis ai o teu filho.’ Depois disse ao discípulo: ‘Eis ai tua Mãe.’ E dessa hora em diante ele a levou para sua casa.”[14] Ora, se Maria tivesse gerado outros filhos isso não seria necessário ...

Como vemos, não há mais nada a se falar sobre o assunto. Jesus foi, de fato, o único filho gerado por Nossa Senhora. Nós, obviamente, por participarmos de seu Corpo Místico, nos tornamos “filhos de Maria ”, incorporados que fomos em Cristo pela eficácia do Batismo. Peçamos, pois, a graça de vivermos à altura de tão grande dignidade: sermos filhos e filhas amados da Virgem Maria em Cristo Jesus! Virgem Santíssima, rogai por nós!

“Deus Pai transmitiu a Maria sua fecundidade, na medida em que a podia receber uma simples criatura, para que ela pudesse produzir o seu filho e todos os membros do seu Corpo Místico.” (S. Luiz M. Grignion de Montfort – Tratado pg. 26)


[1] Conf. Apoc. 12, 1-17. Aqui, a “descendência da mulher” não são aqueles que nasceram naturalmente de seu ventre, pois Jesus fora seu filho único, mas sim aqueles que guardam os mandamentos de Deus e tem o testemunho de Jesus, ou seja, todos os cristãos verdadeiros.

[2] TANNUS, Roberto Andrade. E os Irmãos de Jesus? São Paulo: Editora Santuário, 2003. Pg. 12-31. O autor, em muitas partes do livro, resvala rumo a ambiguidades, demonstrando pouco espírito apologético e falsa visão ecumênica. (Nota do autor)

[3] Conf. S. Mar. 3, 31

[4] Conf. S. Mar. 6, 3

[5] Conf. Gal. 1, 19

[6] Conf. S. Luc.1, 34. “Conhecer”, na Bíblia, tem o sentido de “relação sexual”; ex.: Gên. 4,1. 25

[7] Obviamente, o exemplo permite outras interpretações, como por exemplo: “...não fumo” (por que não sei tragar) etc. O fato é que a frase como está, “...não fumo” nos demonstra também a possibilidade de que a pessoa em questão tenha feito o propósito de nunca fumar, e se a frase estiver corroborada por outras provas que indiquem o suposto, então teremos forte indício da veracidade do que concluímos. Ora, é isto que se dá no caso de Nossa Senhora.

[8] NEGROMONTE, P.A. A Doutrina Viva. Petrópolis: Vozes, 1939. Pg. 101

[9] Conf. S. Mar. 15, 40

[10] Conf. S. Mat. 27, 56

[11] Conf. Mat. 20, 20-24

[12] Conf. Indice Doutrinal da Bíblia Sagrada, Ave-Maria 104 Ed. Ver: “Irmãos”. Pg. 1586

[13] Conf. S. Mar. 6, 3

[14] Conf. S. Jo. 19, 25-27. Texto interessante, pois, distingue Maria Santíssima das outras “Marias” que estavam junto à Cruz.

12 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom e muito obrigado. tirou uma grande dúvida de minha cabeça. Renan

Anônimo disse...

Ótimo texto, bem esclarecedor.
PARABÉNS ao blog e ao autor do texto.
Abraço e força na missão evangelizadora!

Sidney Xavier de Sousa disse...

Santa Maria teve outros filhos! É o que dizem São Mateus e São Lucas:
Seus Evangelhos escritos em Aramaico e Grego respectivamente dizem que Jesus é o filho PRIMOGÊNITO de Maria. Ora o filho primogênito é o primeiro dos filhos do Casal ao contrário de UNIGÊNITO, veja Mateus 1:24,25 e Lucas 2:6,7 troque a dúvida da palavra "primo" pela certeza da palavra "primogênito" sem o problema da falta de palavra correspondente na língua. Vale FRISAR que São Mateus conviveu com Jesus, com os Apóstolos e com Santa Maria, e São Lucas foi um Exímio Historiador que colheu as informações do seu evangelho da própria Santa Maria, e com os Santos Apóstolos. Portanto podemos afirmar baseados nos Evangelistas que Jesus, o Santo, foi o primeiro filho da Santa Maria.
Jesus é o Alfa e o Ômega.
Um abraço a todos.

Anônimo disse...

ora esse texto é muito pobre. mascara a realidade maria teve sim outros filhos assim como o amigo acima mostrou em poucas palavras o que o texto tentou esconder em tantas, além de que seria totalmente imcompriensivel José ter maria como esposa e não ter deitado com ela...

Anônimo disse...

O Senhor Jesus, puríssimo e perfeitíssimo jamais haveria de violar o direito de ninguém. Ao Nascer a Virgem Maria teve não somente sua Virgindade inviolada mas como consagrada definitivamente a Deus. Portanto, não teve outros filhos carnais, porém milhares de filhos espirituais. Na ordem da Graça.

Antônio Wagner Rodrigues Araújo disse...

Bem, sou católico, voltei a frequentar a missa novamente aos domingos e o padre de nossa paroquia, durante as missas esclarece sempre algumas dúvidas que temos, como por exemplo: Maria ter tido outros filhos, sobre o uso das imagens etc... Acho sinceramente que a terra poderia ser o paraíso que tantos sonhamos, contudo não estamos preparados para isso ainda. Meus irmãos temos que ser mais solidários uns com os outos, respeitar as opiniões. O consenso deve ser sempre "Amar a Deus e ao próximo como a ti mesmo". O meu amor a Deus não vai mudar se Maria tivesse outro, sobre uso de imagens ser errados etc.. Tenho orgulho de ser católico e principalmente AMO A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS. Mas lembramos o seguinte que no paraíso ainda bem que não teremos tantas diferênças como temos agora. Um forte abraço para todos, que Deus ilumine o caminho de cada um e de suas famílias. Amém...

P.L.F. disse...

Senhor Antônio Wagner

Suas palavras me fizeram pensar:

"Meus irmãos temos que ser mais solidários uns com os outos, respeitar as opiniões."

Então temos de respeitas as opiniões dos nazistas que mataram milhoôes de pessoas?

Temos de respeitas as opiniões de comunistas que mataram outros milhôes?

Temos de respeitar os satanistas que profanam nossos tabérnáculos?

Ademais, se devemos aceitar todas as opiniôes, porque o senhor não aceita a nossa de lutar ferozmente por Cristo e sua única Igreja verdadeira?

Por fim, segundo sua opinião (com a qual não concordamos)respeitemos:

Estupradores
Pedófilos
Prostitutas
MST
PT
Abortístas
Respeitemos todo mundo. Viva! Que bonitinho! Que bonzinho!

mas, enquanto isso, Cristo nos ordena: "Íde e fazei discipulos meus todas as gentes!"

Por fim, gostaria de dizer

P.L.F. disse...

Senhor Sidney Xavier

Sua afirmação já foi desacreditada por muitos pesquisadores.
Favor estudar mais um pouco. O senhor tem uma mente abnubilada; seu coração está entupido por vícios de raciocinio. Além do mais, sinto-me envergonhado pelo senhor;pois, idade que tens já deverias ser um mestre, todavia, tropeças em coisas tão pequenas... pobre de sua alma. Que a Vírgem Maria tenha compaixão de sua pobre alma.

P.L.F. disse...

Senhoir Sidney

Citarei um texto muito simples para que não fiques sem resposta.
Seu coração é duro. Sua inteligência está escravizada.Por isso não lhe dou algo melhor, não jogarei "pérolas aos porcos.

http://caiafarsa.wordpress.com/jesus-teve-irmaos-carnais/

Esta é a minha opinião pessoal sem nenhuma ligação com os honrados guerreiros que trabalham nesse Blog.

Paulo disse...

Quanta erudição e estupidez simultâneas. Jesus é o filho primogênito de Maria e unigênito de Deus.
E que diferença faz Sta. Maria ter tido relações sexuais com São José? Nenhuma, e esse papo "católico" insistente somente afasta os fiéis, e tira o foco do que interessa: a boa-nova!

Anônimo disse...

Amateur porn blog :
http://retrosex.erolove.in/?chandra
sex and swingers partys coimbatore college sex video how women brest tight sex toy store in frederick md hairy fannies pics adult toy stores bird flu hood mask asian 69 position

Fábio disse...

Queridos irmãos em Cristo. Acredito que a vontade de obediência de Maria era muito grande, e a de Servir a Deus, apaixonadamente e somente a Deus. Acredito que ela foi a primeira celibatária, ou seja ela quis viver para Deus, é somente as Vontades de Deus. O fato de ter casado com S. José era de driblar as especulações e algo atrapalhar os planos de Deus, como descobrirem o Messias antes da hora. Afinal vamos combinar que. as Fleiras os Padres vivem a Castidade, ou seja vivem inteiramente ao serviço a Deus, quando que um pastor de qualquer religião protestante abriria mão disso por Deus, os pastores não conseguem viver a pobreza, quanto mais viver o Celibato. Ai a minha Opinião Maria quis service somente de Deus.
O por que do Filho primogênito é que. este livro de marcos foi escrito depois da Morte de Cristo, simplesmente ele foi obediente e aceitou Maria como sua mãe, e aceitou que todos eram filhos de maria pela graça, Jesus por ser o Primeiro antes de Ser consumado Foi de fato o primogênito.